Entrevista com Bob Wollheim – CEO da S_Kull Brasil

Fale um pouco sobre quem é Bob Wollheim?

Sou um empreendedor de startups. Gosto de tirar ideias do papel, ver a coisa nascer, acontecer e tomar seu rumo. Tenho focado em internet e tecnologia e meu olhar é do de negócios, identificando oportunidades e mercados. Hoje sou investidor de 3 iniciativas que acho bem interessantes: o youPIX, o maior festival de cultura de internet do Brasil, o Startupi, o Tech Crunch brasileiro, o canal mais importante do mundo das startups e a Appies, uma empresa nascente que será um dashboard de negócios para desenvolvedores, ou seja, um negócio inédito e inovador no mundo! Em cada um deles tenho líderes super capazes e reconhecidos tocando os projetos (Bia Granja no youPIX, Diego Remus no Startupi e Rene de Paula Jr. e Dirceu Pauka Jr. na Appies).

Qual o papel de um CEO na sua opinião?

É o líder que dá a visão, forma a direção e faz acontecer. Obviamente o papel e o dia a dia de um CEO de Startup é muito diferente de um CEO de uma grande organização, mas na essência é o mesmo desafio: liderar a empresa. O CEO de Startup tem mais o papel de implementar uma visão, algo que muitas vezes está só na cabeça dos fundadores.


O que é a aceleradora S_Kull?

É um laboratório de inovação, novos modelos de negócio, e oportunidade de negócios.

Qual a visão e missão da S_Kull?

Ser um pólo de inovação e disrupção.

O que significa a palavra execução em startups?

Execução é tudo. Muita gente fala muito de ideia, mas ideia sem execução não é nada, não vale nada. O empreendedor bem sucedido é aquele que sabe executar e não o que tem ideias. Vemos muitos wannabe empreendedores que tem 1 ideia por semana e vivem pivotando seus powerpoints, o que tem valor nenhum. Pode até ser um hobby, mas não é empreender!

Em relação a execução use seu momento atual em relação a S_Kull o que você está executando e como?

Acabei de chegar na S_Kull, portanto é cedo para explorar isso. O que posso dizer é que empreender é talento, metodologia e muita execução e estou aplicando um mix disso nesse meu começo na S_Kull.

Digamos que nesse momento você tivesse apenas o conhecimento e habilidades que adquiriu e desprovido do recurso financeiro para começar uma startup.


– Como se chegar em uma ideia?

O processo é deixar fluir, abrir a cabeça e não se prender nem ao que já existe, nem a primeira ideia que vem a cabeça. É importante pesquisar muito para que a não se tenha uma ideia que já existe em outro mercado há anos!

– Como avaliaria se a ideia é boa ou não?

Vejo alguns processos. 1. Muita pesquisa na web. Ver se a ideia existe, se tem algo semelhante, se não tem, porque não tem, enfim, estressar a pesquisa. 2. Tentar matar a própria ideia, ou seja, fazer um exercício crítico de detonar a própria ideia e, 3. Conversar com pessoas que você confie para ouvir feed-back, críticas e receber todo o tipo de perguntas.

– Como avaliaria a oportunidade e mercado dessa ideia?

Pesquisa. Hoje com a Internet, isso é bem mais simples e possível. Obviamente que uma ideia realmente disruptiva não poderá ser alvo de muita pesquisa pois ela não existe ainda e nesse caso tem que ter uma boa dose de dados aproximados com boa intuição.

– Como montaria sua equipe?

Buscando gente talentosa e diferente de mim (o que é sempre o mais difícil pro empreendedor, pois adoramos aqueles “parecidos” conosco).

– Buscaria investimento, quando e como?

A ideia de ter alguém que quer investir em alguém que tem ideia e quer executar é muito bacana mas, convém ressaltar, ter investidor não é para qualquer negócio nem para qualquer empreendedor. O negócio precisa se algo escalável, com potencial explosivo de crescimento e o empreendedor precisa estar disposto a dividir a empresa e parte da gestão com o investidor, o que é ainda bem raro no Brasil.

Quais as fontes de informação que busca e quais filmes recomendaria?

Leio muita coisa na web e costumo procurar vídeos, textos e palestras na web. Leio as fontes mais comuns como Tech Crunch, PandoDaily, Startupi, FastCompany e adoro fontes como as palestras do TED e o Entrepreneurship Corner de Stanford (http://ecorner.stanford.edu/)

 

Bob Wollheim* Bob Wollheim, empreendedor, é sócio fundador do youPIX, o maior festival de cultura de Internet do Brasil, do Startupi, o TechCrunch brasileiro e da Appies, o primeiro dashboard de negócios para DEV’s do mundo. Atualmente é CEO da S_Kull, o lab de disrupção da Flag, holding da Cubocc, Pong Dynasty, Iceland 2nd Nation e The Kumite. É também autor do livro Empreender não é brincadeira (Campus/Elsevier) e Venture Corp da Endeavor.

 

 

Post Tagged with , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>